sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A linha de Wallace

Um dos trabalhos importantes realizado por Wallace, relacionou-se com a observação sobre a distribuição animal, reconhecendo duas regiões biogeográficas diferentes: a indiana e a autraliana.
Traçando uma linha ao longo do estreito entre Bornéu e Celebes, prosseguindo para sul entre Bali e Lombok: a oeste dessa linha encontram-se primatas, carnívoros (incluindo o tigre, ainda em Bali, mas não mais adiante), insectívoros, faisões, trogonídeos, picnonotídeos, e outras espécies especificamente asiáticas; a leste encontram-se catatuas, lóris, casuares, opossum, alguns marsupiais e uma diversidade muito maior  de papagaios do que de esquilos.
As duas regiões, embora com condições semelhantes de clima e de habit, alojam dois conjuntos faunísticos distintos. "Factos estes que só podem ser explicados se aceitarmos que existiram grandes alterações da superfície terrestre", escreveu Wallace.
A linha de Wallace, separando a região do sudoeste asiático da australiana, tornou-se um dos factos fundamentais da biogeografia contemporânea.
Ao propor a teoria da deriva dos continentes no início do século XX, Alfred Wegener seria mais um cientista, entre outros, em dívida para com Alfred Russel Wallace.

Fonte : National Geographic

Sem comentários:

Enviar um comentário