domingo, 11 de dezembro de 2011

Atol




Anel, mais ou menos contínuo, de recifes, na maioria emergentes, definindo uma laguna no seu interior. Comum no oceano Pacífico, nas latitudes intertropicais. Os recifes coralinos antigos constituem valiosos "documentos" para a história da Terra.




A sua presença numa dada região revela ao geólogo que ela esteve, em tempos imersa - coberta por um mar pouco profundo, de águas límpidas, arejadas, iluminadas, e a uma temperatura de, pelo menos 20ºC.


Há destes recifes antigos em quase todas as regiões do globo - até na Sibéria -, o que permite concluir que importantes alterações climáticas se têm verificado no planeta, no decorrer da sua História.










Figura - Três fases na formação de um «atol».






Atol de Belize

O Grande Buraco Azul está localizado próximo do centro de Recife Lighthouse, um pequeno atol a cerca de cem quilómetros da cidade de Belize, capital do país. Com mais de 300 metros de diâmetro por 135 de profundidade, é uma verdadeira obra-prima da natureza. O lugar tornou-se famoso através da descoberta de Jacques-Yves Cousteau.
Cousteau declarou o Grande Buraco Azul como um dos dez melhores lugares para a prática de mergulho do planeta. Em 1971, ele levou o navio, o Calypso, ao buraco para mapear o fundo. As investigações desta expedição confirmaram que o Grande Buraco Azul surgiu como uma típica formação cáustica de calcário formada antes do aumento do nível dos oceanos em, pelo menos, quatro fases, deixando sinais em profundidades de 21, 49 e 91 metros. Encontraram estalactites na caverna submersa, confirmando a sua formação acima do nível do mar.



Sem comentários:

Enviar um comentário