domingo, 18 de setembro de 2011

Como se chegou ao modelo do DNA?

Um dos desafios que os cientistas têm vindo a enfrentar é o de explicar como é que a partir de uma única célula inicial, o ovo, se origina um indivíduo adulto multicelular, diferenciado e funcional.



Nas décadas de 20 e 30 do século passado, os bioquímicos, além de já conhecerem o DNA, sabiam que no núcleo das células exis­tiam cromossomas; sabiam que estes continham DNA e pro­teínas; sabiam, ainda, que o metabolismo celular resultava da atuação equilibrada de enzimas e que estas eram produzidas a partir de informações contidas no núcleo, melhor dizendo, nos cromossomas.
Inferiram, então, ainda que não houvesse comprova­ção experimental, que o núcleo deveria conter exemplares de cada enzima/proteína da célula. À medida que a célula necessitasse, seriam feitas cópias. Ao DNA caberia a função de proporcionar uma estrutura sobre a qual se dispunha a «coleção» de proteínas.
A inversão destas suposições ficou a dever-se a uma série de experiências científicas.
Fonte : Santillana - 11º ano

Sem comentários:

Enviar um comentário